Anúncios google

sábado, junho 25, 2005

Li e sei...

Li que há subtís actos de amor que destroem templos...
Li que o orgulho nada pode contra a bondade...
Sei que há quem tenha tudo,
e na verdade não tenha nada...

Sei que que há quem chore à noite na almofada,
porque o véu da aparência não permite que o faça de dia...
Sei que em cada um de nós há uma eterna angústia,
que se revela no silêncio e no escuro da noite...
Em cada um de nós há coisas por fazer:
Há lutos por viver; coisas por sentir;
Tristezas por chorar...

E quando estamos sós no silêncio da noite,
esse fardo do não-vivido pesa-nos nos ombros,
e choramos...

Oh adultos decadentes que nos tornámos!
Cascos envelhecidos adiando sempre a liberdade...
Somos crianças...
Crescemos, ficamos altos,
curvamos eternamente a cabeça sob o peso esmagador das responsabilidades, mas o olhar
é sempre o mesmo...

O que muda é a forma de rir
e de chorar!

Ao medo infantil opômos o véu da confiança;
Às lágrimas fáceis opômos sorrisos resignados e complacentes...
Mas no fundo todos queremos acreditar em contos-de-fadas...
Todos queremos acreditar que os conflitos terão um fim, e de mãos dadas
atravessaremos o bucólico jardim - o éden perdido da nossa infância-!

(E porque não o deserto?)

Porque na verdade todos queremos ser olhados nos olhos como iguais,
e que nos apertem a mão com calor e limpidez de espírito...
No fundo todos desejamos um mão forte que nos apoie,
quando mais incautos tropeçamos nos obstáculos do caminho nem sempre fácil,
sem sempre belo,
nem sempre à luz do dia,
muitas vezes à chuva...

E tudo isto é possivel

Nada se vende;
Nada se compra;
Tudo se dá,
como a criança ingénua que oferece de boa-vontade o rebuçado peludo e peganhento que encontrou no bolso das calças...

Deixemos cair o véu...
O rei há muito que vai nu!
Volta criança suprema,
Imperador do Mundo!

2 comentários:

Ana Paula disse...

Meu querido Poeta
Sinceramente não sei como começar nem que palavras utilizar. Sinto-me "vazia" e, no entanto, completamente plena de sentimentos. Emoções só por ti provocadas. Uma felicidade imensa que nem sei como demonstrar, tal é a confusão de sensações que sinto na minha mente. Tudo isto porque, neste dia 15 de Julho de 2005, tu, meu adorado Poeta, iniciaste um novo ciclo na tua vida. A tua entrada para a faculdade. Agora sim, meu querido, vais poder mostrar ao mundo a linda pessoa que existe dentro de ti. Agora vais poder bradar aos sete ventos o que a tua alma "iluminada" verdadeiramente sente. E, esse mundo, vai entender, a favor ou contra, que um Poeta como tu tem de ser reconhecido. Desculpa eu neste momento, não conseguir dizer-te o que sinto. Desculpa, tantas vezes dizer que te Amo da forma mais dura. Desculpa, querer que sejas reconhecido. Desculpa adorar-te como te adoro. Mas, ao mesmo tempo que tudo isto acontece, sinto-me a pessoa mais feliz do mundo. Nem toda a lotaria do mundo me faria sentir tão viva, tão loucamente feliz.
Espero estar ainda muitos anos nesta vida para ver o mundo reconhecer-te. No entanto, sei que a minha alma estará sempre dentro de ti. Não somos afinal Almas Gémeas, meu adorado?
Não sei se chorar se rir. Sei que tenho imenso orgulho no ser que há 20 anos atrás ajudei a colocar neste mundo.
Perdoa-me meu filho... Mas tu sabes e entendes-me. Ninguém me entende como tu. Ninguém se entende como nós. Quantos silêncios dividimos, quantos choros calados tivemos em uníssono?
Mais não digo, porque mais não consigo. Todas as palavras serão vazias e desprovidas de significado para te dizer o que sinto.
Que sejas o homem mais feliz do mundo e que aquilo em que acreditas te acompanhe para sempre.
Amo-te desmedidamente. Obrigada por me teres "escolhido" como tua mãe. Serei eternamente a tua alma... Beijos Amor

jcs disse...

Comentário ao comentário Nº 1.

( Não resisto: - já que tive o privilégio de, virtualmente, ter conhecido nesta nossa encarnação, parte substancial da alma da comentadora )

ESTE COMENTÁRIO FARIA CHORAR A PEDRA MAIS EMPEDERNIDA.

TOMARA EU TER SIDO A PEDRA GÉMEA DESSA PEDRA NA MINHA VIDA ANTERIOR, AQUELA VIDA QUE VIVI HÁ 20.000 ANOS ATRÁS:

NUNCA MAIS A TERIA DEIXADO ESCAPAR DO MEU ALCANCE, E ASSIM CERTAMENTE, HOJE EU ME PUDESSE CONSIDERAR A “SUA ALMA GÉMEA”