Anúncios google

sexta-feira, maio 08, 2009

O Mito da Gripe A



Temos sido bombardeados nas últimas semanas com o papão terrivel e inevitável de uma pandemia mundial. A gripe A (que começou por ser Suina até que os porcos finalmente foram redimidos da sua culpa) partiu do México e propagou-se por vinte e tal países. Tudo bem. Até aqui entendo o que se pretende dizer por pandemia. Porém, parece-me que existe aqui uma enorme incongruência, alimentada pelas mais altas instâncias mundiais de saúde, nomeadamente a OMS.

É verdade que houveram já mortos, mas agora a OMS chegou à fantástica conclusão de que, ainda que haja pandemia, será moderada e não causará a extinção da espécie. A minha pergunta é muito simples e directa: se a gripe sazonal mata em média 300 mil pessoas por ano em todo o mundo, qual é alarme em relação à gripe A que, até ver, matou 150 pessoas, e nenhuma na Europa? Porque é que se considera a Gripe A uma pandemia, e não se declara uma pandemia todos os anos sempre que a Gripe Sazonal ataca? Qualquer pessoa que esteja a ler este blog já passou pela experiência da gripe sazonal, e nem por isso ficou alarmada com isso. Nada que um cházinho, muito descanso e benurons não resolvam. Pronto, concedo ao senhores da OMS que a gripe A parece provocar vómitos e diarreias fortes, mas a verdade é que a gripe sazonal é mais mortífera, sobretudo quando atinge crianças e idosos mais vulneráveis. Qual é a novidade, alguém suficientemente versado pode explicar-me?

Posso sempre especular e dizer que esta gripe A é uma bela mistificação, orquestrada pelas mais altas instâncias da saúde pública reféns de outras altas instâncias a trabalhar na obscuridade, nomeadamente a poderosissima indústria farmacêutica... Será a gripe A uma estrondosa campanha de marketing patrocinada pelos grandes laboratórios para que se venda o tal Osertamivir, esse mesmo medicamento que dizem ser o apropriado para esta maleita? Porque pelos vistos, o Tamiflu já não serve...

Vá-se lá saber. Até ver, quem tem ganho com esta pseudo-maleita são os vendedores de máscaras faciais. E, até ver, quem tem perdido mais são os porcos. Que o digam os pobres porcos egípcios que foram chacinados...

4 comentários:

Elisabete Joaquim disse...

«Os pobres porcos» são chacinados, mas os seus proprietários não ficam pobres por isso: "culpar" os porcos da gripe foi também uma boa maneira de escoar produto com a ajuda de subsídio público.

mago_do_asfalto disse...

sendo um novo virus para o qual nenhum ser humano tem defesas ele tem potencial para se espalhar mais depressa e a um número maior de individuos que a gripe sazonal. Além disso poderá ser mais mortifera. A gripe sazonal é previsivel e todos os anos se sabe com antecedencia qual será a estirpe dominante logo produzem-se vacinas. Neste caso não há vacinas.
Como justificação de todo este alarmismo deixo-te o exemplo de algumas gripes pandemicas do século XX, uma das quais salvo erro matou 20 milhões de pessoas...

Faz todo o sentido ficar alerta para quando os problemas começarem, tentando minimizar os estragos.

Ah, esas 300 mil que morrem por ano são idosos, crianças e pessoas com doenças crónicas, a Gripe A tem morto tanto gente debilitada como adultos perfeitamente saudaveis.

Ruben D. disse...

Compreendo caro mago. Porém, a tal gripe de que fala ocorreu em 1918, num tempo em que não existiam meios adequados de contenção e higienação, e em que grande parte da população mundial não estava preparada em termos de saúde público, nutrição, etc, para fazer face à infecção.
Se esta gripe é tão mortífera como se diz, porque razão a portuguesa infectada já não tem quaisquer sintomas, aliás como já está a acontecer com muitos dos infectados nos EUA? Por outro lado, já há sim vacinas, pois o tamiflu parece servir perfeitamente para atenuar os efeitos possíveis, sendo que já existe uma vacina chamda Oseltamivir que está a ser vendida como a mais adequada para a pandemia.
Vejamos: o virus da gripe sazonal entra em mutação todos os anos, é por isso que todos os anos as pessoas se devem vacinar contra o influenza que, segundo percebi, tem a mesma configuração genética que o virus da gripe A. Ou se não é a mesma é pelo menos semelhante. Na minha modesta opinião, a gripe A não é mais do que o virus comum da influenza numa nova estirpe ligeiramente mais nociva. Como tal, só no Inverno é que poderão haver de facto mais casos e mais mortes, pelo menos na Europa. Parece-me óbvio que o marketing comece já no Verão, pois assim os países terão tempo para comprar o oseltavimir em doses suficientes para satisfazer as farmacêuticas.

Obrigado pelo comentário

Delfim disse...

E agora que, segundo parece a tal PANDEMIA, já passou ainda há quem pense que isto foi um caso sério?
Eu penso que não foi mais que uma gigantesca campanha da poderosa indústria farmacêutica que conseguiu assim, também com a ajuda da OMS e dos média, chorudos lucros em ano de crise