Anúncios google

segunda-feira, novembro 09, 2009

Gripe A - ignorado mais uma vez

Publico aqui o texto que enviei, mais uma vez, para a página do leitor do jn, e que, como já vem sendo hábito nos textos acerca da gripe A que envio para o jornal, este ignorou completa e eloquentemente.

Afirma-se frequentemente - e erradamente - que a gripe A é mais agressiva e mortífera que a gripe sazonal. De facto, um médico francês afirmou recentemente, num artigo publicado no Le Monde, que a gripe A poderá matar cem vezes mais que a gripe sazonal. Contudo, ele compara dados estatísticos de França, com dados obtidos em ilhas da Papua Nova Guiné. Ou seja, segundo o médico em questão, a gripe – sazonal ou de outro tipo – mata normalmente por via do síndrome de insuficiência respiratória aguda (SRAG) – vulgo pneumonia -. De acordo com o próprio, em França existem em média cinco a seis casos de morte por SRAG num universo de seis milhões de infectados por gripe sazonal! Por outro lado, o mesmo médico afirma que, na Ilha Maurício, morreram pelo menos sete infectados com Gripe A num universo de setenta mil infectados, por via da SRAG. Serve-se, portanto, este eminente doutor francês de uma comparação que não tem comparação para fazer valer o seu ponto. Sabemos bem que o nível de propagação de uma infecção por gripe é muito mais rapido em meio insular, pelo facto de existir uma maior densidade populacional e a população ter menos defesas imunológicas contra o vírus, mercê do facto de viverem isolados em relações de proximidade e até de consanguinidade. Não é preciso ser médico para deduzir isto. Em boa verdade, e como já confirmou o infecciologista do Curry Cabral, Fernando Maltês, em declarações ao Público, “a morbilidade e a mortalidade provocadas pela a gripe A não são maiores do que a verificada todos os anos por acção da influenza sazonal.”. Uma responsável pela infecciologia do Hospital de São João, no Porto, afirma também no mesmo artigo que a virulência da Gripe A é menor em relação à da gripe sazonal. Ora, ainda que algo reticente, fui ao site da OMS para ver os números. Diz num artigo acerca da gripe sazonal que todos os anos, em todo o mundo, cinco a seis milhões de pessoas são infectadas das quais entre 250 a 500 mil não sobrevivem. De seguida, fui comparar com os números da Gripe A: até ao dia 11 de Outubro havia registo de 4735 mortes num universo de quase 400 mil casos conhecidos! Pasme-se! O ratio de mortalidade da gripe sazonal é de 6 em 100, e o de gripe A de 1 em 100. Qual o mais mortífero afinal? Quanto vão ganhar as farmacêuticas à custa desta campanha de marketing extremamente bem elaborada?

1 comentário:

Gina disse...

http://dedosnasferidas.blogspot.com/2009/11/qual-e-marca-de-vacina-que-estao.html